CDI-logo

Gera espaços informais, ligados às instituições e líderes das comunidades locais, que combinam a inclusão e educação tecnológica com a formação em cidadania e empreendimento.

  • Organização:

    CDI: Committee for Democracy in Information Technology

  • País

    Brasil

  • Nome do(a) inovador(a) ou fundador(a):

    Rodrigo Baggio

  • Endereço:

    Rua Alice, 150 –Laranjeiras Rio de Janeiro / RJ – CEP 22241-020

  • Reconhecimentos/Prêmios:

    1996 Rodrigo Baggio es Ashoka Fellow.

NÍVEL EDUCATIVO (idade)

CDIgraf-GNE

APOIO AUDIOVISUAL

MAPA

ANÁLÍSE DA INOVAÇAO

ES-CDI-GA

cdi fondo

1. PROBLEMA QUE A INOVAÇÃO TENTA SOLUCIONAR

Os equipamentos e as comunicações baseadas na informática e sistemas de informação estão abrindo novas oportunidades praticamente em todas as áreas da atividade humana. As distâncias dissipam-se e a vizinhança global está convertendo-se rapidamente em uma realidade cotidiana.

Na educação, no trabalho e em muitas atividades de lazer, a capacitação TIC representa a diferença entre ontem e hoje. Infelizmente, estes recursos não estão sendo compartilhados de forma equitativa. Em países como o Brasil, onde a pobreza é generalizada e os sistemas de educação pública são extremamente deficientes, o acesso ao equipamento necessário e a falta de capacitação impedem que todos estes benefícios cheguem à grande maioria das pessoas com meios econômicos modestos. Como resultado disso, a fratura entre estratos ricos e pobres torna-se cada vez maior, e as oportunidades para os mais desfavorecidos se reduzem proporcionalmente.

O desafio do CDI é a necessidade urgente de aumentar o acesso aos conhecimentos de informática e TIC por parte dos setores mais desfavorecidos; e, através destas habilidades, melhorar suas oportunidades econômicas e conseguir uma participação mais frutífera em todas as dimensões da vida.

2. QUE SOLUÇÃO SE PROPÕE?

Rodrigo Baggio lidera este movimento em crescimento para capacitar jovens de comunidades desfavorecidas em competências digitais e, desta forma, aumentar suas oportunidades de trabalho e incorporação na sociedade contemporânea. Trata-se de um movimento que combina educação tecnológica com educação em cidadania e empreendedorismo.

As Comunidades CDI são espaços informais de aprendizagem de informática e cidadania. Desenvolvem-se sob a proteção das instituições associadas às comunidades.

Desenvolveu uma metodologia que está sendo implementada em vários países.

Esta rede, coordenada e supervisionada por 23 escritórios regionais, nacionais e internacionais, está presente nas comunidades de baixa renda, em prisões, instituições de saúde mental, centros de pessoas deficientes, comunidades indígenas e centros de reabilitação para menores privados de liberdade, entre outros lugares. Opera em nível urbano e rural. No Brasil, a organização está presente em 15 estados e no Distrito Federal.

3. COMO FUNCIONA ESTA SOLUÇÃO?

Estes espaços têm líderes comunitários à frente do processo. Desta forma, as questões sociais, valores e restantes particularidades de cada ambiente são respeitados e tidos em consideração pelo CDI. Os trabalhos de inclusão digital e cidadania podem ser adaptados às necessidades e aos públicos locais.

A formação é ministrada em salas que são cedidas gratuitamente por organizações comunitárias, escolas, centros paroquiais, etc.

O programa de formação das Comunidades CDI proporciona aos participantes a capacitação necessária e o recebimento de um salário quando iniciam seu trabalho.

O CDI oferece cursos básicos e avançados em informática a um vasto público, desde os sete anos de idade até os idosos. Estes cursos podem ser gratuitos (em alguns lugares pagam uma parcela mensal).

Conta com o apoio entusiasta de empresas da comunidade, que doam equipamentos e manuais de capacitação. Estes equipamentos são mantidos por voluntários que colaboram com o CDI.

Cada Comunidade CDI pode albergar projetos específicos, como o Projeto HP Life, Projeto Light, Projeto SMS-DC RJ, ou Amigos do Planeta, entre outros.

Também foram desenvolvidos projetos com dispositivos móveis, mais acessíveis nestes setores.

4. INDICADORES DE IMPACTO E RESULTADOS

Em 2012, a rede de Comunidades CDI tinha formado 92.084 alunos e dispunha de 1.007 formadores capacitados na metodologia CDI.

Atualmente, a iniciativa já dispõe de 780 espaços de inclusão digital no Brasil e em mais 12 países.

5. PONTOS FORTES DA INOVAÇÃO

  • Acentuada orientação inclusiva, por meio da capacitação digital.
  • Uma metodologia consolidada.
  • Combinação educativa com potencial: cidadania, empreendedorismo e tecnologia.
  • Uma extensa rede internacional que enriquece o modelo e a experiência.
  • Importante colaboração de empresas locais.
  • Modelo efetivo e acessível ao reforço escolar.
  • Alcance significativo.
  • Mobilização de voluntários.

6. ALCANCE GEOGRÁFICO

Além do Brasil, está presente em: Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Espanha, Estados Unidos, Reino Unido, México, Peru, Portugal, Uruguai e Venezuela.

7. MODELO DE RECEITA

A estratégia do CDI enfatiza especialmente a autogestão, independência financeira e sustentabilidade de cada uma das comunidades.

Os fundos necessários para os salários dos formadores e manutenção das instalações são gerados em parte pelas parcelas pagas pelos alunos (em alguns casos), mas também se contemplam fontes de receita como: converter-se em rubricas orçamentárias dos centros escolares públicos; utilizar o equipamento das escolas (fora do horário letivo) para prestar diversos serviços remunerados a grupos comunitários ou a pequenas empresas locais.