News

Programar aplicativos para solucionar problemas reais no ensino secundário, tendo como objetivo motivar os adolescentes e desenvolver suas capacidades empreendedoras e programadoras. Conta com a participação de voluntários corporativos.

NÍVEL EDUCATIVO (idade)

appsforgoodgraf-GNE

APOIO AUDIOVISUAL

MAPA

ANÁLISE DA INOVAÇÃO

ES-appsforgood-GA

Apps for good

1. PROBLEMA QUE A INOVAÇÃO TENTA SOLUCIONAR

Os sistemas de educação tradicionais estão perdendo talento. Muitos jovens estão desmotivados devido aos métodos de ensino que, por outro lado, não os preparam para o mundo real, dominado pelos contínuos avanços tecnológicos.

A tecnologia incita a imaginação dos jovens, que querem utilizá-la para criar, jogar e compartilhar. No entanto, a escola tradicional está muito atrasada, perdendo a oportunidade de participar e aproveitar a tecnologia para gerar experiências ricas em aprendizagem, especialmente para os estudantes mais desencantados com os métodos tradicionais. Os docentes que percebem esta oportunidade de uso da tecnologia muitas vezes sentem-se frustrados pelo fato de não poder fazer mais.

Por outro lado, a tecnologia não se relaciona no mundo educativo com respostas a desafios e problemas reais. Deste modo, perde relevância para os alunos.

2. QUE SOLUÇÃO É QUE SE PROPÕE?

Apps for Good é um movimento que vincula a educação em tecnologia de código aberto com a resolução de problemas reais.

Deste modo, quer gerar uma nova geração de jovens que possa criar, lançar e comercializar novos produtos tecnológicos que melhorem o mundo. Parte da concepção de que a tecnologia pode ser um grande catalisador para gerar uma força massiva orientada para o bem social, a transformação das vidas e das comunidades. O Apps for Good associa-se aos docentes das escolas e aos centros de aprendizagem para oferecer uma formação específica nesta área a estudantes de 10 a 18 anos de idade. Fornece o conteúdo dos cursos, a formação e os contatos com voluntários especialistas que apoiam o processo; os docentes do centro proporcionam a inspiração e orientação aos estudantes para que desenvolvam seus projetos.

Durante um ano letivo, os estudantes trabalham em equipe para identificar problemas que os preocupam e aprender a desenvolver um aplicativo móvel ou web que contribua para a solução dos mesmos. Tal como acontece com os empreendedores profissionais, os estudantes passam por todas as etapas-chave do desenvolvimento de novos produtos: geração de ideias, análise da viabilidade técnica, programação para o desenvolvimento do produto, concepção do modelo de negócio e marketing.

3. COMO É QUE ESTA SOLUÇÃO FUNCIONA?

A formação em Apps for Good ensina programação e os fundamentos do mundo digital, ao mesmo tempo que o desenvolvimento de habilidades relacionadas com a solução de problemas, a criatividade, a comunicação e o trabalho em equipe.

Com uma abordagem pedagógica, baseada na solução de problemas reais que importam aos jovens, os estudantes aprendem o processo de desenvolvimento de um produto de software de uma forma prática. O Apps for Good reconhece que os educadores e estudantes estão em etapas muito diferentes no que se refere ao conhecimento necessário para programação. Por isso, os educadores podem escolher a profundidade da aprendizagem mais apropriada para seus estudantes.

Ao longo do curso, os estudantes têm a oportunidade de ir construindo protótipos de trabalho. Desde 2013- 2014, são oferecidos quatro níveis de criação de protótipos aos educadores e estudantes:

  • Nível 1 – Básico: wireframes Balsamiq de clics/app POP.
  • Nível 2 – Blocos de construção: AppInventor 1 e 2 mais AppShed.
  • Nível 3 – Web: começando por Blockly (mostrar Javascript) e HTML + CSS (incluindo código em JSBin ou dedal); em seguida, passar a plug-ins, o quadro e as bibliotecas e APIs
  • Nível 4 – Social: Javascript, Plug-ins sociais e o Facebook API (público e privado), incluindo JSBin, que também conta com o desenvolvedor do Facebook.

Durante todo o curso, os professores conectam-se à comunidade de especialistas voluntários – profissionais tecnológicos e empreendedores que mostram na sala de aula a vida profissional real, tornando a aprendizagem TIC mais relevante. Os especialistas convertem-se em mentores das equipes de estudantes em sessões de uma hora, presenciais ou por videoconferências. Ajudam os estudantes a progredirem ou a efetuarem o estudo-piloto de suas ideias. Os especialistas também ajudam os professores nas áreas mais desafiadoras do curso. No fim do curso acadêmico, são convocados os prêmios Apps for Good, uma competição de âmbito nacional, em que as melhores equipes de estudantes de Apps de todo o Reino Unido competem para que seus produtos sejam comercializados com o apoio do Apps for Good e de patrocinadores.

4. INDICADORES DE IMPACTO E RESULTADOS

Desde seu início em setembro de 2010, como atividades extraescolares na Central Foundation School for Girls em Tower Hamlets, no leste de Londres (com 25 estudantes e um alumni de Apps for Good formado como educador e cinco especialistas visitantes), a iniciativa no Reino Unido e na Irlanda alcançou em 2013

17.000 estudantes
230 escolas
800 educadores
400 profissionais voluntári

Em Setembro de 2014 o programa já conseguiu envolver 50.000 estudantes de 1.000 escolas.

Números consideráveis:

  •  17.000 estudantes
  • 230 escolas
  •  800 educadores
  • 400 profissionais voluntários

Em setembro de 2014 o programa envolverá mais de 50.000 estudantes de 1.000 escolas.

5. PONTOS FORTES DA INOVAÇÃO

  • Uma metodologia consolidada.
  • Combinação educativa com um grande potencial: cidadania, empreendedorismo e tecnologia.
  • Uma rede internacional que enriquece o modelo e a experiência. •• Uma importante colaboração de empresas territoriais.
  • Capacidade de crescimento rápido.

6. ALCANCE GEOGRÁFICO

Iniciado em Londres, atualmente há 213 escolas vinculadas no Reino Unido e na Irlanda.

Na Catalunha, a iniciativa foi lançada sob a cobertura do programa Mobile World Capital Barcelona.

Em janeiro de 2014, já tinha atingido 6.000 estudantes de 196 centros de educação secundária da Catalunha.

7. MODELO DE RENDIMENTOS

No Reino Unido, o modelo de receita sustenta-se na taxa anual de 250 libras esterlinas que os centros educativos privados pagam.

Graças a patrocinadores, oferece seus serviços gratuitos a entidades educativas comunitárias ou sem fins lucrativos. Prevê que, com uma doação de 6.000 libras esterlinas, é possível cobrir o desenvolvimento de Apps for Good de três escolas (300 estudantes).

Esta contribuição cobre a formação dos docentes, o desenvolvimento do curso Apps for Good e da competição anual.